Skip to content

Tudo que você precisa saber sobre IPCA

Saiba mais sobre esse importante índice, como é calculado e os reflexos gerado por suas variações.  

O índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, conhecido como IPCA, é um índice de inflação e tem como função medir de forma conjunta, a inflação de serviços e produtos comerciais do varejo e revisar a taxa básica de juros da economia, a taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia). Ele é uma das mais importantes medidas que temos em nosso país, neste artigo você vai entende-lo melhor e como ele está inserido no seu dia a dia.  

 

O que é?  

Estabelecido pelo IBGE (Índice Brasileiro de Geografia e Estatística) em 1979 e utilizado pelo Banco Central do Brasil (BACEN) para monitoramento, o IPCA é considerado o termômetro da inflação no Brasil tem como objetivo, fiscalizar mensalmente a variação de preço dos produtos para o consumidor final.  

   

Como é calculado  

Através de uma pesquisa de preços realizada pelo IBGE em domicílios, prestadores de serviços, estabelecimentos comerciais, internet e etc. Famílias de áreas urbanas e com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, e independentemente de qual seja sua fonte de renda, são o centro da pesquisa já que são cerca de 90% de pessoas nessas condições.   

Os valores dos produtos e serviços são coletados do dia 1º ao dia 30º de cada mês, conforme a base salarial é feita a divisão por classes econômicas, e assim é dividido o número total de pessoas pelo número total de classe, mas as categorias analisadas possuem um peso diferente no cálculo.   

Apesar de ser o indicador central, outros índices ligam-se a ele. Apesar de, seu período de coleta ser do dia 16 do mês anterior até o dia 15 do mês seguinte, o IPCA-15 segue a mesma metodologia, por exemplo. O IPCA-E – ou Especial – é o índice trimestral acumulado pelo IPCA-15.  

 

Composição  

A partir da POF, Pesquisa de Orçamentos Familiares, acompanha regularmente os preços e também mensura os hábitos de consumos através de cada tipo e gasto tempo tem no orçamento das famílias brasileiras.  

Coletada por 12 meses e com período de referência de até 12 meses, a POF tem suas informações resumidas em um período de 24 meses. Ao ser atualizada, o cálculo do IPCA também é modificado, assim o índice reflete o mais próximo possível da realidade das pessoas.  

Em 2020, a composição do IPCA foi atualizada e abaixo, veja as categorias que o compõe em ordem de maior peso:   

  • Alimentação e bebidas  
  • Habitação  
  • Artigos de residência  
  • Vestuário  
  • Transportes  
  • Saúde e cuidados pessoais  
  • Despesas pessoais  
  • Educação  
  • Comunicação  

Nessa composição, elementos foram incluídos como, transporte por aplicativo, serviço de streaming, pacote de telefonia, internet e TV por assinatura e outros foram retirados como, máquina fotográfica, revelação e cópia, locação de DVD, telefone público.   

Além disso, as regiões do Brasil possuem diferentes pesos em sua composição. Os dados são coletados em regiões metropolitanas de 16 capitais, e cada uma delas possuí uma representatividade específica. Nesse quesito, é levado em consideração a renda média familiar da região.  

Os pesos regionais são elencados da seguinte forma:  

  • São Paulo  
  • Belo Horizonte  
  • Rio de Janeiro  
  • Porto Alegre  
  • Curitiba  
  • Salvador  
  • Goiânia  
  • Brasília  
  • Recife  
  • Belém  
  • Fortaleza  
  • Vitória  
  • São Luís  
  • Campo Grande  
  • Aracaju  
  • Rio Branco  
      

Para que é utilizado o IPCA  

O IPCA, é uma medida fundamental para a estratégia do comitê política monetária brasileira.

A inflação e a taxa de juros são ligadas intrinsecamente, o Banco Central tem como principal ferramenta para cumprir a meta da inflação, a taxa Selic, que é um juros básico da economia brasileira. Por isso, quando os preços começam a subir, a Selic é aumentada.  

  

Inflação: Por quê sobe e cai?  

A economia se baseia, quase que de forma majoritária, na Lei de Oferta e Demanda. Quando a demanda por produtos e serviços aumenta mais do que a capacidade de oferta, naturalmente os preços tendem a aumentar, e quando o consumo está em baixa, os preços tendem a se estagnar.  

Observamos essa tendência de aumento da inflação em períodos quando a renda está em alta e as pessoas possuem maior poder de compra, e as empresas não conseguiram ajustar seu volume de produção. Em algumas circunstâncias, como economias em recessão, excesso de gastos públicos, e movimentação de câmbio (já que grande parte de produtos e insumos são cotados em dólar) a inflação também pode registrar uma alta.  

  

Outros indicadores de inflação  

Mesmo sendo um dos principais índices do Brasil, o IPCA não é o único. Outras metodologias são importantes, e com diferenças consideráveis. Veja:   

IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado)  

O IGP-M, é o índice que acompanha a variação de preços praticados no mercado. Calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), e tem foco nos reajustes em preços de aluguel, imóveis, vestuário, alimentação e outros. Aqui temos três indicadores: IPA-M, preços no atacado; IPC, preços ao consumidor e INCC, preços no setor de construção civil.  

INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor)  

Também coletado pelo IBGE e calculado no mesmo sistema que o IPCA, o INPC é focado em rendas familiares de 1 a 5 salários mínimos. O objetivo, é de uma apuração específica sobre essa faixa de renda pois, a garantia de alcance de pelo menos 50% das famílias com pelo menos uma pessoa assalariada na área urbana. Esse grupo de pessoas, por exemplo, é mais sensível a movimentação de preços de itens como: alimentação, transporte, educação, cuidados pessoais e outros.   

IPC-Fipe (Índice de Preços ao Consumidor)  

Um dos mais antigos índices e o mais tradicional do país, é coletado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), tem como diferença considerar as variações de 4 semanas em relação as 4 semanas anteriores e mais especificadamente habitantes da cidade de São Paulo. O IPC-Fipe, analisa a mudança no custo de vida de famílias com renda de 1 a 10 salários mínimos.  

 

Aprendeu mais sobre a inflação brasileiras e seus índices? Acompanhe o blog Letsbank e fique por dentro do mercado financeiro.